terça-feira, 15 de maio de 2018

Lourenço: o ouro maldito lavado com paixão e sangue nas terras contestadas

Olimpio Guarany 
A porção de terra entre os rios Araguari e Oiapoque conhecida como região do Contestado,  provocou quase 200 anos de rivalidade e uma história dolorosa entre Brasil e França, por imprecisão da fronteira entre o Brasil e Guiana Francesa. Desde o século 16, os franceses conheciam bem aquela área e sabiam da existência das drogas do sertão, muito valorizadas na época. A partir de 1893, com a descoberta do ouro na região, onde atualmente localiza-se o garimpo do Lourenço, aumentou o interesse dos franceses e os conflitos se acentuaram a partir de 1894. Àquela altura, para garantir o domínio francês, o então governador Charvin, da Guiana, havia nomeado um preposto conhecido por Trajano para gerenciar a área explorada por brasileiros e franceses. Ocorre que o Trajano não reconhecia os brasileiros, até que um dia mandou descer a bandeira brasileira e subir a bandeira da França, indicando que aquela área pertencia aos franceses. As desavenças aumentaram e, para fortalecer e defender os brasileiros, foi criado, onde é hoje a cidade de Amapá, o governo triúnviro formado por Desidério Antonio Coelho, Cônego Domingos Maltês e Veiga Cabral que passou a ser o presidente. A primeira medida de Cabralzinho foi mandar prender o Trajano. Por causa disso, recrudesceram os conflitos. A decisão de Cabralzinho irritou o governador da Guiana Francesa que mandou uma tropa de 80 homens, liderados pelo capitão Lunier para soltar Trajano e prender Cabralzinho. A expedição francesa foi um desastre. No primeiro embate, ao que se sabe, o próprio Cabralzinho matou o capitão Lunier. Em desvantagem numérica e em armamentos, os homens de Cabralzinho se refugiaram nas matas enquanto a tropa francesa, bem armada, promovia uma carnificina. Matou muitos inocentes, ateou fogo nas casas, prendeu quatro brasileiros, levando-os para a Guiana Francesa.
Esse conflito apressou a disputa diplomática nos quatros anos seguintes, até que em 1900, a Corte Suiça deu ganho de causa ao Brasil e as terras contestadas pela França, entre o Araguari e Oiapoque, onde hoje se localizam os municípios de Amapá, Calçoene e Oiapoque, passaram definitivamente ao domínio brasileiro.
As fascinantes histórias do garimpo do Lourenço inspiraram o escritor José Sarney, autor do romance Saraminda. Na obra ele conta uma história de magia e realidade que ocorre num cenário de aventura e de paixão - o ambiente feroz do Contestado -, onde brasileiros e franceses brigam e se amam na terra de ninguém, do ouro fácil e maldito. Ambientada no garimpo do Lourenço, Saraminda retrata a história de uma jovem comprada a peso de ouro que carrega nos olhos verdes e nos seios dourados o prazer e a desgraça. Ela é de todos e de ninguém, até que se apaixona, e então terra e ouro se transformam em sangue.
———————————————————————————————————————
Olimpio Guarany é jornalista, documentarista, economista e professor universitário

Nenhum comentário:

Os vizinhos

Dom Pedro José Conti -  Bispo de Macapá Conta Madre Teresa de Calcutá: “Certa noite, um senhor veio na nossa casa para pedir comida p...