sexta-feira, 25 de maio de 2018

A Palavra de hoje 25.05.2018

Evangelho (Mc 10,1-12): Jesus se pôs a caminho e foi dali para a região da Judeia, pelo outro lado do rio Jordão. As multidões mais uma vez se ajuntaram ao seu redor, e ele, como de costume, as ensinava. Aproximaram-se então alguns fariseus e, para experimentá-lo, perguntaram se era permitido ao homem despedir sua mulher. Jesus perguntou: «Qual é o preceito de Moisés a respeito?». Os fariseus responderam: «Moisés permitiu escrever um atestado de divórcio e despedi-la». Jesus então disse: «Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés escreveu este preceito. No entanto, desde o princípio da criação Deus os fez homem e mulher e os dois formarão uma só carne; assim, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu o homem não separe!».

Em casa, os discípulos fizeram mais perguntas sobre o assunto. Jesus respondeu: «Quem despede sua mulher e se casa com outra, comete adultério contra a primeira. E se uma mulher despede seu marido e se casar com outro, comete adultério também».

Comentário ao Evangelho
O Reino pregado por Jesus tinha objetivo de restabelecer entre os homens as relações primitivas queridas por Deus que estão lá nas Escrituras.
Aquela altura o pecado havia contaminado a humanidade e as relações estavam realmente pervertidas. Era preciso reverter esse quadro. No âmbito familiar, por exemplo, era preciso superar aquela mentalidade divorcista, onde o marido se sobrepunha a esposa e podia despedi-la por qualquer motivo. A situação da esposa, na época, era de grande instabilidade. Nunca era poderia estar certa da profundidade dos laços matrimoniais. Só que Jesus foi buscar lá nas  primeiras paginas das Escrituras, o pensamento de deus a respeito do matrimônio que, aliás, é muito anterior a lei de Moisés. O homem e a mulher, unidos pelo matrimônio, tornam-se uma só carne. Isso trata-se de união espiritual. A convivência é uma só. Portanto, quem adere ao Reino é chamado a refazer todos os seus esquemas mentais. Não deve se deixar levar pela dureza de coração e sim pelo desígnios de Deus.

Nenhum comentário:

Os vizinhos

Dom Pedro José Conti -  Bispo de Macapá Conta Madre Teresa de Calcutá: “Certa noite, um senhor veio na nossa casa para pedir comida p...