terça-feira, 6 de setembro de 2016

Gelo produzido com energia solar para os ribeirinhos da Amazonia.


Máquinas instaladas pelo Instituto Mamirauá transformam energia solar em gelo, beneficiando 60 ribeirinhos na confluência do rio Solimões

ASCOM/MAMIRAUÁ

Três meses após a instalação das máquinas que produzem gelo a partir da energia solar, a vida na comunidade Vila Nova do Amanã, no Amazonas, mudou. Agora, os ribeirinhos conseguem manter o peixe fresco e o alimento bem conservado, além de tomar água gelada num dia de sol.
A tecnologia do projeto Gelo Solar foi levada pelo Instituto Mamirauá para a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, na confluência do rio Solimões. Cerca de 60 pessoas vivem na comunidade ribeirinha, sem acesso à energia elétrica. O gelo trazido de Tefé, cidade mais próxima, mas a uma distância de dez horas de barco, não era suficiente para conservar a produção e os alimentos para consumo. Das três máquinas instaladas, duas produzem 18 grandes pedras, que correspondem a mais de 60 quilos de gelo, que são divididos entre os comunitários ou vendidos para comunidades vizinhas. Uma máquina está em manutenção.
‘O Instituto Mamirauá está levando uma inovação tecnológica, com impacto social e ambiental, e está testando isso em campo. Mas, depois de instalar e de passar pelo processo de experimentação, a expectativa é que a comunidade cuide disso, se aproprie dessa tecnologia’, explicou a pesquisadora Iaci Penteado.
Técnicos  acompanham a produção de gelo mensalmente. O monitoramento inclui dados sobre a produção e a renda das famílias. ‘A atividade de monitoramento é importante, primeiro, para a pesquisa social, vendo como a máquina de gelo está impactando a comunidade, como eles estão se organizando para gerir coletivamente essa tecnologia. Mas é importante também porque permite alterações no projeto ao longo do seu desenvolvimento. Pegamos a opinião deles, inclusive sugestões, para aprimorar o projeto’.
Segundo Iaci Penteado, a comunidade estabeleceu um rodízio entre diferentes equipes para cuidar da ‘Fábrica de Gelo’. ‘Eles fizeram equipes de quatro ou cinco pessoas que são responsáveis por manter o ambiente da fábrica limpo, pelo processo de colocar água nas máquinas, ligar a máquina de manhã, e retirar o gelo no final do dia’.
Projeto Gelo Solar- A tecnologia inovadora do projeto’ Gelo Solar’, desenvolvida pelo Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo, consiste em 60 painéis que captam a energia do sol. O equipamento possui um sistema fotovoltaico que dispensa o uso de baterias. O projeto foi finalista do Desafio de Impacto Social Google | Brasil. Com o prêmio de R$ 500 mil, o Instituto Mamirauá colocou em prática a tecnologia do gelo solar.

Nenhum comentário:

Wagner Gomes questiona pesquisa CTB

"A pesquisa feita pela Mentor, a mando da CTB, me pareceu bastante estranha e contemporânea", me disse o advogado Wagner Gomes, ...