segunda-feira, 16 de setembro de 2013


Janary 101 anos, Território 70.

Olimpio Guarany

Em 1943 estávamos em plena segunda guerra mundial. Os americanos já haviam montado uma base de apoio, no municipio de Amapá. 
Alegando que aqui era uma área estratégia e precisava interiorizar o desenvolvimento, o então presidente Getulio Vargas, assinou o decreto de criação do Território Federal do Amapá com supervisão direta do poder central. No mesmo ano nomeou o capitão do exército Janary Gentil Nunes, para ser o seu primeiro governador. A posse só ocorreu em 25 de janeiro de 1944, após receber das mãos do governador do Pará todos os bens patrimoniais existentes na região, ainda chamada de Araguari.
Janary marcou a história do Território porque teve a missão de , praticamente, construir tudo. Ainda hoje as marcas de seus 12 anos de governo estão por todos os lados. Janary contou com ajuda significativa da revolução econômica local provocada pela descoberta de manganês em Serra do Navio, o que obrigou a Icomi, empresa responsável pela exploração do manganês, a construir uma gigante infra estrutrura, incluindo o porto e a estrada de ferro,  considerando que o Amapá era desprovido de tudo.
Sozinho não seria capaz de fazer tudo. Para tanto trouxe cabeças pensantes e mão de obra operária do baixo Amazonas e de Belém, e partiu para as obras.
Em seu governo construiu escolas e postos de saúde nos municípios, mandou edificar casas para diretores e funcionários, construiu grupos escolares, entre eles o Barão do Rio Branco; o Ginásio de Macapá, Escola Doméstica (Hoje Escola Estadual Santina Riolli), o Instituto de Educação do Amapá (IETA), o Hospital Geral de Macapá. Investiu no setor primário criando dois pólos de produção, um no Matapi e outro na Fazendinha.
A primeira hidrelétrica, do Paredão, teve o projeto aprovado durante seu governo. Foi ele quem retomou a construção da BR 156 entre Macapá a Clevelandia. Criou a Companhia de Eletricidade do Amapá e da Companhia de Água e Esgotos. 
Na sua gestão desmembrou a antiga vila de Martinica do municipio de Amapá  e criou Oiapoque com status de municipio, nomeando o telegrafista Roque Penafort, seu primeiro prefeito.
Janary tinha fama de ser concentrador, mas era preciso ter mãos firmes para viabilizar, especialmente Macapá, como capital do território. Outra referência era a probidade. Janary era um homem honrado, administrou a coisa pública com seriedade e não deixava que roubassem o erário. Para não influir na eleição do seu irmão Coaracy Nunes, a deputado federal, pediu afastamento do Governo. Mas, foi criticado por ter transferido os negros que moravam na frente da cidade para o distante bairro do Laguinho. No período de setembro a outubro de 1954, foi substituído por Theodoro Arthou, voltando em 1955, e permanecendo até 1956.
Janary Nunes teve grande projeção nacional. Foi presidente da Petrobrás, embaixador do Brasil, na Turquia e deputado federal pelo Amapá.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Olimpio Guarany é jornalista, economista, publicitário e professor universitario

Nenhum comentário:

Últimas noticias sobre a pane no navio Ana Beatriz IV

Por volta das 10h da manhã de hoje partiu de Santana o navio Breno, da mesma empresa do Ana Beatriz IV que sofreu uma pane, ontem, à noi...