segunda-feira, 15 de abril de 2013

Política e Sociedade


Olimpio Guarany

Quantas vezes você já ouviu alguem falar que odeia politca, que tem
aversão a politica e aos politicos? Será mesmo aversão ou falta de
interesse por politica?
Pois é, mas precisamos entender que gostando ou não, a politica existe
e faz parte de nossa vida.
O homem é um ser politico por excelência. As vezes, involuntariamente
fazemos politica. Senão vejamos: ao instante em que discutimos na
escola sobre qual será o esporte a ser disputado na educação física,
estamos agindo politicamente.  Quando um jovem tenta convencer seus
pais para ir a uma festa e chegar mais tarde, está fazendo politica;
quando defendemos nosso time de futebol;  quando tentamos impor o
nosso posicionamento naquele  grupo não consegue chegar a um consenso,
estamos atuando politicamente. Se você observar vai ver que em
diversos momentos, em nossas manifestações, estamos fazendo politica.

Precisamos entender que a Política, aquela que mais conhecemos, que é
realizada no campo das idéias, como principal corolário do processo
democrático, é algo saudável e necessário para a convivência em
sociedade.

Não é certo dizer que a política não deveria existir ou que todos os
políticos são ladrões ou que quem entra na política só quer roubar.
Mas é comum ouvirmos expressões do tipo “se você quiser ficar rico é
só virar político”. O mais preocupante é quando esses comentários são
tecidos por jovens.

É certo, entretanto, que a conduta e a biografia de muito dos
políticos que ai estão acabam levando a essas conclusões e, essa
estirpe de político é que nos faz perder as esperanças em um futuro
melhor, mas não podemos perder de vista que é através da politica que
conseguiremos fazer com que o dinheiro destinado à saúde publica
chegue aos doentes necessitados; que é por meio da política que
faremos com que a merenda escolar chegue ao prato das crianç que não
conseguem aprender em razão da fome; que é por meio da política que
criaremos um país de oportunidades.
É, também, através da politica que podemos mudar os politicos, os maus
politicos, os corruptos, os incapazes e os desprovidos de espirito
público.
Não podemos nos excluir do processo politico, senão seremos o que
pensava Berthold Crecht, um analfabeto politico. Para ele “O pior
analfabeto é o analfabeto politico. Dizia ele: Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado,e o
pior de todos os bandidos,que é o político vigarista,pilantra,corrupto
e o lacaio das empresas nacionais e multinacionais."
Portanto é indispensável que participemos da politica. Atuando nos
partidos ou não. Fazer política transcende o campo partidário, vai
além. Para participar e fazer acontecer as mudanças em nossa sociedade
você precisa se manifestar dando opiniões, cobrando, criticando e,
acima de tudo, fazendo a sua parte, é isso que provoca mudanças em
nossa sociedade.

Só precisamos entender que é o processo político que conduz o mau e/ou
o bom político ao poder. A escolha é do povo, a escolha é
nossa.Participe!
-------------------------------------------
Olimpio Guarany é jornalista, economista, publicitário e professor universitário






NOTAS

Estatuto de juventude e Guerra fiscal
Entra em pauta para votação no Senado, na próxima terça feira, o
Estatuto de Juventude. Outro assunto que domina os debates na Casa é a
proposta de uma “saida organizada” da guerra fiscal – incentivos
tributários que os estados concedem para atrair investimentos
privados. Há uma proposta de unificação das aliquotas interestaduais
de ICMS até 2025.

De novo?

Rejeitado no governo do PSB, o PT começa avaliar o que fazer em 2014.
Há uma corrente dentro do partido que defende a tese de se unir ao
PSOL e apoiar um outro candidato que não  atual governador. A ver.

Já o PC do B...

Bem que Luiz Pingarilho se antecipou, com pelo menos uma semana pelo
twitter, de que a parceria sairia. Só guardou com ele a informação de
como andavam as negociações para voltar ao governo do PSB. Ao menos
ele e um grupo ligado ao deputado Evandro Milhomem já se acomodaram no
poder, novamente.

Refrescando a memória
O senador José Sarney gravou sua participação no horário politico do
PMDB que vai ao ar pela TV, na próxima semana. Vai começar a refrescar
memória de muita gente, a começar pela solução do racionamento de
energia.

Pra não esquecer
Em 1993 ficávamos sem luz 18 horas por dia, quando Sarney, usando de
seu prestigio trouxe  de Camaçari, Bahia, uma usina completa que
resolveu definitivamente o racionamento. Este parque termelétrico que
foi instalado em Santana responde hoje por cerca de 80% da energia
fornecida no Amapá.

E tem mais

Sarney vai lembrar que o Amapá vai passar de um estado carente para
estado-exportador de energia eletrica. Por ação dele estão sendo
construidas as usinas hidreletricas de Ferreira Gomes, de Santo
Antonio e brevemente terá inicio a obra da usina Cachoeira Caldeirão.
Vai destacar, também, que o linhão de Tucurui que ele prometeu já
chegou a Macapá e a subestaçào que vai fornecer energia está em com as
obras em franco andamento.

Sarah, Unifap e Ifap
Outras lembranças nas falas de Sarney: foi ele quem trouxe pra cá o
Hospital Sarah e a escola Técnica Federal (Ifap) que está em pleno
funcionamento em Macapá e em Laranjal do Jari. Não vai deixar escapar
que foi ele, quando presidente da república, quem criou a Universidade
Federal do Amapá (Unifap).

Nenhum comentário:

Wagner Gomes questiona pesquisa CTB

"A pesquisa feita pela Mentor, a mando da CTB, me pareceu bastante estranha e contemporânea", me disse o advogado Wagner Gomes, ...