terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Como é que é?


Achei no mínimo estranho para não dizer aético e deselegante o comportamento da deputada Dalva Figueiredo (PT) na midia essa semana. Dalva destilou criticas ao senador José Sarney (PMDB), seu colega de bancada. Entre outras, disse que Sarney não vai às reuniões da bancada da qual ela é coordenadora para assuntos de emendas ao orçamento da União, algo como se o senador Sarney não prestigiasse seus pares amapaenses. Dai eu achar estranho que a deputada se comporte assim, chegando ao ponto de dizer que quando tem problemas procura seus lideres do PT. É como se ela nunca tivesse precisado de Sarney. E ela sabe, que o senador amapaense tem mais prestigio e poder na República do que um punhado de seus pares petistas.
As declarações da deputada Dalva fizeram outros parlamentares torcer o nariz, ao concordarem que boa parte dos problemas e dificuldades que enfrentam durante seus mandatos, especialmente no que concerne a liberação de recursos de emendas, pessoais e outros de qualquer natureza recorrem a Sarney para encontrar solução. A grande imprensa e boa parte dos brasileiros sabem da importância do presidente do Congresso Nacional para o Amapá e para o Brasil. Dalva também sabe e nem conseguiu parecer desinformada sobre Sarney como gostaria, logo ela caiu na real ao afirmar que o Amapá explora pouco Sarney. 
De fato deputada Dalva, faltou, no minimo, competência àqueles que governam o Estado e os municipios. Bem que eles poderiam beneficiar o povo do Amapá se soubessem usar o poder e o prestigio do senador José Sarney.

Nenhum comentário:

Wagner Gomes questiona pesquisa CTB

"A pesquisa feita pela Mentor, a mando da CTB, me pareceu bastante estranha e contemporânea", me disse o advogado Wagner Gomes, ...